Na raça, seleção brasileira arruma as malas para competir no Mundial da ISA

Delegação brasileira desfila durante a abertura do Mundial da ISA em 2018
Delegação brasileira desfila durante a abertura do Mundial da ISA em 2018. Foto: Jimenez / ISA

De 24 de novembro a 01 de dezembro El Sunzal, em El Salvador recebe a oitava edição do ISA World SUP and Paddleboard Championship.

A competição, organizada pela International Surfing Association, acontece pela primeira vez no país da América Central e faz parte de uma iniciativa do governo local para fomentar o esporte no país batizada de Surf City El Salvador.

Como em todas as edições, serão realizadas disputas nas modalidades SUP Race, SUP Wave e Paddleboard, com o acréscimo da categoria SUP Junior introduzida pela ISA em 2018, ocasião em que o evento foi realizado na China.

O anuncio do Mundial da ISA, feito com apenas dois meses de antecedência, pegou a todos de surpresa.

No Brasil não foi diferente. Um exemplo é o caso da tricampeã brasileira Lena Guimarães Ribeiro. Informada sobre o evento em El Salvador já de malas prontas para competir no Mundial da ICF na China, Lena não conseguiu viabilizar a viagem para El Salvador devido ao curto espaço de tempo entre o anúncio e a realização da prova.

Apesar do “status olímpico” o entendimento é diferente para o Mundial

equipe brasileira de surf nos jogos pan-americanos
Sem a participação do SUP no Pan de Lima, o surfe só teria conquistado uma medalha. Foto: Reprodução

A seleção brasileira nos Mundiais da ISA é formada de acordo com o ranking brasileiro da Confederação Brasileira de SUP – CBSUP do ano anterior (à exceção do paddleboard). No entanto, quem representa a ISA no Brasil e é efetivamente responsável pela convocação e formação da seleção de SUP e Paddleboard é a Confederação Brasileira de Surfe – CBSurf, que por uma questão de bom senso adota o ranking da CBSUP como parâmetro.

Após a inclusão do surfe entre as modalidades olímpicas, a CBSurf passou a receber via COB (Comitê Olímpico Brasileiro) uma verba ordinária para investir em projetos destinados ao fomento do esporte.

Em 2018, foram destinados R$ 719.664,00 (setecentos e dezenove mil seiscentos e sessenta e quatro reais) para a CBSurf via COB para serem aplicados em projetos ligados ao fomento do esporte (para saber mais, clique AQUI).

No entanto, nenhum centavo dessa verba poderá ser aplicado para ajudar nossos atletas a representarem o Brasil em El Salvador, pois o COB entende não ser o mundial de SUP e Paddleboard da ISA um evento propriamente de “surfe” e nem ligado diretamente às Olimpíadas (como no caso do Pan). Sem a aprovação do COB, o dinheiro não pode ser liberado.

Cerimônia de abertura do Mundial de SUP e Paddleboard da ISA em 2018
Cerimônia de abertura do Mundial de SUP e Paddleboard da ISA em 2018. Foto: Jimenez / ISA

No entanto, não deveria a CBSurf / COB destinar parte dessa verba para apoio aos atletas em eventos de grande relevância? Até porque, ironicamente, foram os atletas de stand up paddle quem mais trouxeram medalhas para o Brasil durante os Jogos Pan-Americanos de Lima. Das quatro medalhas conquistadas pela seleção brasileira de surfe, três vieram do SUP.

No Pan de Lima o SUP foi apresentado como “stand up paddle surf” (incluindo o race técnico) e, por isso, conseguiu a aprovação necessária para que as despesas de nossos atletas fossem custeadas via verba discricionária do COB. No caso do Mundial da ISA, curiosamente, não há o mesmo entendimento.

Por esse motivo a seleção brasileira viajará a El Salvador à própria sorte, com nossos representantes tendo que se virar para conseguir apoio com as despesas de viagem. Também não haverá comissão técnica. O único patrocínio será o de uniformes oferecido pela Silver Bay.

Atletas que irão representar o Brasil no Mundial de SUP e Paddleboard da ISA

Leco Salazar surfando em barbados
Leco Salazar irá representar o Brasil no SUP Wave. Foto: Beto Noval

A formação da seleção brasileira é feita de acordo com o ranking nacional do ano anterior (exceto o paddleboard). Havendo desistência, são convocados os atletas que estão uma posição abaixo do ranking e assim sucessivamente.

Veja quem está confirmado em El Salvador:
SUP Wave

Leco Salazar

Matheus Salazar

Aline Adisaka

Fernanda de Freitas

SUP Race

Vinnicius Martins

Arthur Santacreu

Luiz Guida “Animal”

Jessika “Moah”

Aline Abad

Isttefany Morais

Iasmim Morais

Murilo da Rosa

Paddleboard

Patrick Winkler

Rogerio Mello

Sinara Pazos

Obs.: não haverá comissão técnica em El Salvador.

Cronograma do Mundial da ISA em El Salvador

Tuca Santacreu mundial de sup da ISA
Medalha de ouro em 2018, brasileiro Tuca Santacreu compete no dia 24. Foto: ISA/ Jimenez

A programação está sujeita a alterações a qualquer momento pela ISA. Os horários em que serão realizadas as provas ainda não foram divulgados.

O mundial será transmitido ao vivo no Aloha Spirit Club.

ISA World SUP & Paddleboard Championship 2019
24 de novembro

Desfile das Nações e Cerimônias de Abertura

Provas de Sprint

Localização: Praia de El Sunzal

25 de novembro

Corridas de longa distância (SUP e Paddleboard)

Localização: E Sunzal Beach

26 de novembro

Rodadas preliminares de Race Técnico (SUP, Paddleboard e Junior SUP)

Rodadas preliminares de revezamento técnico

Finais de revezamento técnico

Localização: Praia de El Sunzal

27 de novembro

Finais de Race Técnico (SUP, Paddleboard e Junior SUP)

Localização: Praia de El Sunzal

28 de novembro a 1 de dezembro

SUP Wave

Localização: Praia de El Sunzal

1 de dezembro

Cerimônias de encerramento

Localização: Praia de El Sunzal

Vídeo oficial de lançamento do Mundial da ISA

Spread the love

About the author

Da Redação

Da Redação

Aloha Spirit Club é a maior fonte de informação sobre water sports da América Latina. Nossa equipe traz até você conteúdos de qualidade e antenados com as novidades e tendências desse universo.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.