Renato Peniche, revelação do paddleboard em 2019

Nosso colunista, Patrick Winkler, comenta a estreia fulminante de Renato Peniche nas competições nacionais de paddleboard
Renato peniche paddleboard
Renato Peniche comemorando a segunda colocação na prova de paddleboard do Molokabra: resultados expressivos em 2019. Foto: Reprodução

Alguns dizem que atletas oriundos da natação tem boa aptidão para o paddleboard, outros dizem que os sufistas têm mais “skills” para a modalidade. No caso de Renato Peniche, o clássico surfe de Longboard é sua maior vantagem.

O guarujaense de 39 anos de idade, instrutor de surfe num dos lugares mais exóticos do Brasil, o condomínio de Iporanga, no norte do Guarujá, conseguiu unir estilo de vida, trabalho e performance em torno dos esportes aquáticos.

Peniche começou a remar de paddleboard, a convite de Rogério Mello (atleta que irá defender o Brasil na próxima edição do Mundial e SUP e Padleboard da ISA, em El Salvador) e teve uma rápida ascensão na remada. Iniciou o ano com uma surpreendente medalha de prata no Green Islands, na represa Billings (primeira etapa do circuito paulista de paddleboard).

Renato Peniche surfando de longboard
Contrariando a tendência de bons remadores vindos da natação, Peniche tem como base o surfe de longboard. Foto: Arquivo pessoal

Rapidamente se adaptou a prancha fornecida pela Guadaria Da Hui do munícipio de Santos, um paddleboard de shape clássico havaiano. Em seguida competiu uma disputada prova no The Bridge Cup em são Vicente, honradamente terminando na quarta posição.

Já que no surfe Peniche sempre buscou o melhor swell, no paddleboard não seria diferente. Com o nascimento do evento Molokabra, o guarujaense viu a oportunidade de remar numa das melhores condições de downwind e rapidamente já estava devidamente inscrito para competir no belíssimo estado do Ceará.

Renato peniche remando de paddleboard
Peniche em ação durante a Green Islands na represa Billings. Foto: Reprodução

O Molokabra é um circuito de três provas: O desafio das Marinas (5 km), Ventos do Ceará (15 km) e Dragão do Mar (30 km). Peniche conquistou a terceira colocação na competição e de quebra levou a medalha de prata na prova de 15 km.

Com os resultados obtidos, ainda faltava uma última e desafiadora prova no estado de São Paulo neste ano de 2019, o King of Paddle, com 20 Km de distância entre Ilhabela até a Praia Grande de São Sebastião. Uma vez mais, o atleta do Guarujá subiu ao pódio, conquistado a “sofrida” medalha de bronze.

remadores de paddleboard de são paulo
Da esq. para dir.: Renato Peniche, Felipe Barone, Patrick Winkler, Rogério Melo, José Loyola. Foto: Arquivo pessoal

Não há dúvidas de que a rápida evolução do waterman se deve a sua longa experiência no surfe de longboard. Com a maturidade vem a experiência, e o “cross trainng” entre o paddleboard e o longboard fizeram com que o atleta evoluísse nos dois esportes em 2019.

Peniche é um nome que será constantemente mencionado e não pela enorme coincidência da famosa praia de Portugal do circuito de surfe profissional ter o mesmo nome, mas sim pelo audacioso planejamento para 2020.

Aloha

Patrick Winkler

Top Ten ISA Games (campeonato mundial de paddleboard), China 2018;

Top Ten ISA Games (campeonato mundial de paddleboard), Dinamarca 2017;

Molokai to Oahu, finisher 2017.

* Texto escrito com a colaboração de nosso editor, Luciano Meneghello

Spread the love

About the author

Patrick Winkler

Patrick Winkler

Patrick Winkler foi atleta competitivo da natação em todas as categorias e atualmente se dedica às competições de prone paddleboard e ao free surf. Formado em administração de empresas, ele é editor-chefe da plataforma Swim Channel.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.