Aloha Spirit Brasília | Balanço do dia 02

David Leão e Lena Ribeiro faturam o SUP técnico no dia 02 da 2ª etapa do Aloha Spirit, em Brasília; na natação em águas abertas, Thaís Sant’ana levou mais uma

Guilherme dos Reis, David Leão e Luiz Guida ‘Animal’ confraternizam nas águas do Paranoá. Foto: Fabio Mota

A 2ª etapa do Aloha Spirit foi encerrada em Brasília/DF neste domingo (23) em altíssimo nível técnico, mais uma vez. Entre os grandes destaques do dia, o Stand Up Paddle (SUP) Técnico, contou com grandes nomes e, novamente, disputas acirradas no Lago Paranoá, um dos cartões postais da capital do Brasil. No masculino, a revelação David Leão, da Bahia, foi o grande vencedor, enquanto que na feminina, Lena Ribeiro Guimarães, do Rio de Janeiro, manteve a hegemonia.

Leia mais: Balanço do dia 01 do Aloha Spirit Brasília

Na natação em águas abertas, prova de 3.800 metros, a paulista Thais Fernandes Sant’Ana voltou a vencer entre as mulheres e Rodrigo Ricco de Araújo garantiu o título para o Distrito Federal. Na canoa havaiana individual, Juliana Louback Freitas (RJ) e Luis Henrique Silva Barta (SP) remaram mais forte. Nessa prova, destaque para Rogério Mendes, também de São Paulo, numa grande demonstração de superação.

Thais Fernandes Sant’Ana. Foto:Fabio Mota

Há uma semana ele ficou fora do Brasileiro, por uma forte gripe e ainda está em recuperação, na véspera da viagem perdeu a sua avó, mas decidiu competir em Brasília, garantindo mais uma grande disputa. Além disso, no sábado, foi o vencedor do Waterman, prova especial reunindo natação, paddleboard e SUP. “Fiquei feliz demais. Pude remar forte, bem. Agora é concentrar para o Brasileiro de Equipes. Os treinos não param”, falou Rogério.

No SUP, David havia sido o terceiro na prova longa no sábado, atrás dos paulistas Guilherme dos Reis (com quem mora na Califórnia) e Luiz Guida, o Animal, um dos mais experientes da modalidade. No domingo, ele largou na ponta e, sem cometer erros, numa prova que exige muita habilidade nas boias, manteve a ponta até o final, deixando Gui em segundo e Animal em terceiro. Vale também o resultado de outra promessa, Guilherme Cunha, de SP, que vem crescendo sempre e foi o quarto colocado.

Largada das canoas individuais e duplas. Foto: Fabio Mota

Sou de Itacaré e meus avós, caiçaras, remadores de canoa. Então, está no sangue. Comecei no judô, meu pai era mestre, militar e sempre me criou na disciplina. Depois, comecei a me conectar com o mar e tudo fluiu”, contou o atleta de 17 anos. “Na prova, vi que ia ser bem disputada. Sabia que tinha de fazer a largada forte e não errar. Se errar com eles, que são fortes, é fatal. É muito curta. Tô amarradão”, falou.

Na feminina, Lena teve o mesmo pensamento. Começar forte e não cometer erros. “Fiz boa largada e consegui liderar desde o começo e ir até o fim. A prova é sempre dura e cada vez mais mulheres estão competindo e o nível mais alto, principalmente com a minha atual e principal adversária, a Moah”, comentou. “Agora é me preparar cada vez mais para o Pan”, completou a representante brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru.

Outras atrações foram a competição de apneia estática e as aulas de yoga, além de diversas ações socioambientais. Na área cultural, houve o Festival Aloha Spirit de Cinema. Agora, as atenções ficam voltadas para a terceira e última etapa do Aloha Spirit, em Cabo Frio/RJ, nos dias 22 a 24 de novembro.

Recap das transmissões ao vivo do Race Técnico

Race Técnico Masculino

Race Técnico Feminino

.

Galeria de imagens Aloha Spirit Brasília dia 02 – Fotos Fabio Mota

O Aloha Spirit 2019 tem o patrocínio de Corona (Ambev), com copatrocínio da Riachuelo, apoio de Projetos Mares Limpos – ONU Meio Ambiente, Mirage, Mormaii e Rede Globo. Realização: Associação Magna de Desportes e Ecooutdoor, correalização da Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal, com gestão e produção da Intercult.

Spread the love

error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.