Nadando em águas frias

Nosso colunista Samir Barel passa dicas importantes para a natação nos meses de inverno, quando o clima e as águas se tornam mais frios

A grande dúvida em relação às roupas de neoprene tem relação com o uso ou não de mangas longas. Foto: Reprodução

Olá pessoal! Tudo bem? Voltamos com mais algumas dicas para a natação em águas abertas. O inverno está chegando neste mês de junho, está na hora de começar a tirar a roupa de neoprene do armário e se preparar para lidar com as águas frias…

Com a temperatura da água mais baixa o corpo precisa gerar mais calor para manter a temperatura ideal (36,5 graus Celsius). Geralmente a primeira coisa que fazemos é sair nadando como “loucos” para esquentar o corpo o mais rápido possível, mas isto pode ser um erro grave… Em provas longas, se você gera todo calor no início da prova, pode correr o risco de não conseguir aumentar o ritmo em momentos decisivos por conta do cansaço e isto poderá custar muito caro… Procure controlar a ansiedade e imprimir um ritmo confortável pois, com o passar do tempo o corpo naturalmente se ajusta a temperatura ambiente.

Samir Barel durante uma de suas muitas travessias. Foto: Arquivo pessoal

Além disso, aprendi com o Igor de Souza, ícone das Maratonas Aquáticas e superexperiente em águas frias (Canal da Mancha), que qualquer condição do dia a dia parecida com a que você irá enfrentar ajuda na preparação para uma prova. Tomar banhos frios de vez em quando, sair na rua sem muito agasalho e permanecer por um tempo, andar descalço dentro de casa no inverno, enfim, tudo isso pode ajudar a adaptação do corpo… MAS CUIDADO para não ficar gripado, prejudicando todo o planejamento! Faça esses procedimentos sem exageros…

A roupa de neoprene é certamente o principal aliado do nadador no inverno, mas alguns ainda têm dúvidas sobre prós e contras dos trajes com ou sem manga. Algumas pessoas acabam sentindo o movimento mais preso usando a roupa com manga e isso pode atrapalhar o desempenho. Para provas mais longas, especialmente, a roupa com manga dificulta o giro do ombro, aumentando o desgaste na hora de nadar. Então avalie bem o tempo e a metragem que irá ficar com a roupa!

Lembre-se que com a roupa de borracha o atleta se equipara a um “caiaque”, onde o corpo é o casco e os braços são os remos. Para deslizar mais na água, faça uma alavanca mais aberta com o braço, deixando o cotovelo mais alto. Agora, se você quer girar mais os braços, aumentando a velocidade do movimento, mude um pouco o ângulo do braço. Reduza o tempo de apoio na entrada da água e flexione mais o cotovelo, trazendo a mão mais próxima do corpo (fase submersa da braçada). Desta forma sentirá que na primeira metade da braçada terá menos apoio (o que fará aumentar o giro de braçada), portanto é muito importante que FINALIZE a braçada e aproveite esta propulsão!

 Valeu moçada! Até a próxima!

Spread the love

About the author

Samir Barel

Samir Barel

Samir Barel é ultramaratonista aquático e já concluiu algumas das maiores, mais difíceis e prestigiadas travessias aquáticas do planeta, como o Canal da Mancha – considerado o “Monte Everest das Águas Abertas”. Seja qual for o desafio, seu lema é #SomosTODOSCapazes!


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.