Aloha Spirit Brasília também será válido pelo Brasileiro de SUP

Além das disputas de SUP Race válidas pelo ranking brasileiro – CBSUP, festival contará com mais seis modalidades em disputa e uma série de atrações abertas ao público na arena será montada no Pontão do Lago Sul

Campeões da primeira etapa do Aloha Spirit Festival, Lena e Animal também estão na briga pelo título Brasileiro. Foto: Fábio Maradei

Se as disputas do Stand Up Paddle (SUP) no Aloha Spirit Festival sempre são acirradas, emocionantes e de alto nível, na etapa de Brasília a expectativa é ainda maior com as provas técnica e de longa distância valendo pelo ranking da Confederação Brasileira da modalidade, a CBSUP. A competição é um dos destaques do maior festival de esportes aquáticos do Continente, confirmado para os dias 21 a 23 de junho, no Lago Paranoá, um dos principais cartões postais do Distrito Federal.

Os atletas não escondem a animação com essa motivação extra e esperam grandes disputas. A soma dos resultados das duas provas em Brasília garantirá a nova pontuação no ranking brasileiro. O paulista Luiz Guida, o Animal, tetracampeão brasileiro, elogia a iniciativa. Na etapa de Ilhabela, ele venceu tanto a longa distância quanto a disputa técnica, mostrando estar em grande fase.

O Aloha já é um evento top, o mais legal e mais completo do Brasil e um dos melhores do Mundo. Então, competir no festival já é um prazer, muito divertido e muito importante para os atletas. Agora, competir sendo Brasileiro é melhor ainda”, afirma o atleta, que ganhou o apelido pela força nas remadas, tanto no SUP quanto na canoagem.

Assim como foi em Ilhabela, Brasília irá pegar fogo com disputas de alto nível. Foto: Fábio Mardei

Animal destaca estar em boa fase e preparado para disputar um novo título. “Ganhei a primeira etapa do Aloha e pretendo ir com tudo para Brasília. Estou treinando e focado”, complementa o atleta, sabendo que competir no Lago Paranoá terá particularidades e dificuldades. “É mais difícil, a água é dura, não tem muita marola igual no mar. É fazer força de ponta a ponta, mas estou adaptado a essa realidade porque treinei a vida inteira na Represa de Guarapiranga e na USP”, argumenta. 

Lena Ribeiro, do Rio de Janeiro, também demonstra felicidade. A atleta este ano garantiu duas medalhas nos Jogos Sul-Americanos de Praia, na Argentina, faturou a abertura do Brasileiro e no Aloha faturou a longa distância e foi a segunda na técnica, numa grande demonstração de recuperação (chegou a estar em oitavo lugar). 

Lena Guimarães: “Ser válido para o Brasileiro é um incentivo a mais “. Foto: Fábio Maradei

Ser válido para o Brasileiro é um incentivo a mais. São dois circuitos em disputa. Confesso que Brasília não é um dos meus locais favoritos para competir, pois a remada normalmente é no liso e eu prefiro remar no mar”, ressalta a líder do ranking, já sabendo que terá mais uma prova dura pela frente. “Com certeza faremos muita força”, confessa.

Além do SUP, o Aloha Spirit terá mais seis modalidades em ação – va’a, também conhecidas como canoas havaianas, natação em águas abertas, paddleboard, surski, apneia estática e waterman (reunindo natação, SUP e paddleboard). A arena será montada no Pontão do Lago Sul, e também contará com diversas ações socioambientais, culturais e educativas, entre elas o Festival Aloha Spirit de Cinema.

As inscrições já estão abertas, devem ser feitas no site oficial do evento, o alohaspirit.com.br, com os atletas podendo optar por uma ou mais provas, e o primeiro lote, com desconto, válido até o dia 15 de maio.

O Aloha Spirit 2019 tem o patrocínio de Corona (Ambev), com apoios de Projeto Mares Limpos da ONU Meio Ambiente e Menos um Lixo. Realização: Associação Magna de Desportes e Ecooutdoor com gestão e produção da Intercult.

Spread the love


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.