Lena Ribeiro na expectativa para o início do Aloha Spirit Festival

Tricampeã brasileira SUP, Lena Ribeiro é uma das atrações na abertura do Aloha Spirit Festival em Ilhabela
Tricampeã brasileira de SUP, Lena quer fazer bonito em Ilhabela. Foto: Reprodução

Atual tricampeã brasileira e vindo de duas medalhas de ouro nos Jogos Sul-Americanos de Praia, na Argentina, e da vitória no Brasileiro de Longa Distância, na Bahia, a atleta de stand up paddle (SUP), Lena Ribeiro, é uma das grandes atrações na abertura do Aloha Spirit, no final de semana (12 a 14), em Ilhabela, litoral norte de SP. Mesmo com seu foco voltado para uma nova medalha, agora nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, a relação com o evento brasileiro é longa e vitoriosa e ela chega à Praia do Perequê para defender os títulos nas duas provas de SUP em disputa.

Gosto e participo do Aloha desde que comecei a remar e competir. Uma das minhas primeiras competições foi o Aloha em Ilhabela em 2012”, conta Lena. “É um evento que não é só competição, é confraternização, encontrar amigos. Já competi em outras modalidades, como canoa havaiana, tanto individual quanto em equipe, waterman, que tem natação, paddleboard e SUP. É um festival que curto muito”, comenta.

Lena Ribeiro, Aloha Spirit Festival. Foto: Ale Socci

Dessa vez, a disputa ganha ainda mais projeção por valer pontos para o ranking mundial da Paddle League, uma das associações mundiais da modalidade, e terá a presença de atletas de outros países. Entre elas, a norte-americana Fiona Wylde, um dos principais nomes da atualidade. “Nessa edição, não sou a favorita. É uma etapa do Mundial e teremos atletas internacionais. Entre elas, a Fiona, para mim a favorita. É uma grande atleta e uma grande pessoa”, elogia.

Para Lena, os olhos já estão voltados para os Jogos Pan-Americanos, entre 26 de julho e 11 de agosto. “Será uma prova técnica, de cinco quilômetros, com ondas, em Punta Rocas, com o mar bem complicado e no inverno. Então, estou treinando habilidade em onda de surf. Minha prioridade é o Pan, ainda mais que é a primeira vez do SUP. Só de participar é incrível e quero estar na minha melhor forma possível, por representar o Brasil”, revela.

Mas, claro, vou para fazer o melhor no Aloha. Como falei, é um evento que tenho grande carinho”, reforça Lena, ainda comemorando os dois ouros nos Jogos Sul-Americanos, em Rosário. “Foi bem bacana, porque representei o Brasil. O SUP é um esporte novo, poder mostrar já é maravilhoso e com medalhas de ouro, melhor ainda. Fomos em quatro atletas e garantimos seis medalhas, quatro de ouro e duas de prata. Isso é incrível, não só para a gente, mas para o esporte como um todo”, reconhece.

HISTÓRIA

Da esq. para dir.: Vivi Poltronieri, Cris Tijolinho, Babi Brazil, Lena e Ariela Pinto durante premiação do Aloha em 2013. Foto: Arquivo

Apesar de ser a atual tricampeã brasileira de SUP, Lena não é originária de esportes aquáticos. Na infância e adolescência jogava handebol e chegou até a seleção brasileira sub16. Mais velha, com filho e casada, foi morar em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, Rio de Janeiro, e quase com 30 anos, por influência do marido (e agora também técnico), Américo Pinheiro, experimentou o SUP.

Inicialmente, como recreação e depois, estimulada por Américo, começou a competir em 2012 e já no primeiro ano foi campeã amadora. “No ano seguinte virei profissional e comecei a competir no exterior também. Em 2013, 2014 e 2015 fui vice-campeã brasileira. Em 2016 ganhei meu primeiro título e em 2018 fui tri. Também tenho títulos internacionais importantes, como na Holanda. Em 2017 ganhei ouro no Panamericano da PASA, no mesmo lugar que serão os Jogos, em Punta Rocas”, destaca.

Aos 38 anos, Lena tem uma vida agitada e além dos treinos e competições, dá aulas de nutrição numa universidade em Cabo Frio e ano passado se formou em Educação Física. “Sou mestre em Nutrição, dou aulas e tem meus filhos, a casa, treinos, viagens e ainda dou aulas de SUP. Atleta no Brasil é isso, ainda mais num esporte novo como o stand up. É difícil viver do esporte. Todo dinheiro que eu ganho no esporte é revertido para competir. Faço mesmo por amor”, completa.

Consolidado como um dos três maiores festivais de esportes aquáticos do Mundo, o Aloha Spirit Festival terá a cerimônia de abertura nesta sexta-feira (12), às 19 horas. As disputas esportivas serão realizadas no sábado e domingo e, além do SUP, provas de va’a, natação em águas abertas, surfski, paddleboard, waterman e a beach run, uma corrida de montanha. Fora das competições, vários atrativos e ações ambientais, culturais e sociais.

O Aloha Spirit 2019 tem os patrocínios de Corona (Ambev) e Prefeitura Municipal de Ilhabela. Apoios: Projeto Mares Limpos da ONU Meio Ambiente e Menos um Lixo. Realização: Associação Magna de Desportes e Ecooutdoor com gestão e produção da Intercult e correalização da Secretaria de Turismo de Brasília.

Spread the love

error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.