Remada do bem | Projeto troca microlixo por aulas de SUP

Na inciativa batizada de “Surf Limpeza”, o interessado que entregar um copo cheio de resíduos tem direito a 30 minutos de aula de stand up paddle
Daniel Tomaz (ao fundo) e voluntários exibem copos preenchidos com microlixo recolhido nas areias da praia. Foto: Arquivo pessoal

Microlixos são um grave problema em nossas praias. Itens de pequeno tamanho, mas que em sua maioria são gerados em grande volume, como, por exemplo, tampinhas plásticas, bitucas de cigarro e papéis de bala, podem parecer inofensivos para quem irresponsavelmente os deixa na areia (quem nunca ouviu a célebre frase: “Mas é só uma bituca!”), mas vêm causando significativos danos ambientais em ecossistemas costeiros.

E enquanto não encontramos uma solução definitiva para esse problema, pessoas engajadas vão dando o exemplo.

Em Santos (SP), um artista plástico idealizou um projeto para ajudar a mudar esse cenário: incentivar pessoas a coletarem esse tipo de resíduo em troca de aulas de stand up paddle.

Para participar do projeto, batizado ‘Surf Limpeza’, o interessado precisa entregar um copo cheio de resíduos, que vale 30 minutos de aula. Daniel Tomaz, criador da iniciativa, conta que a ideia surgiu há cerca de dois anos, e tem sido bem aceita pelos santistas.

O artista plástico reutiliza o lixo recolhido nas areias para transformá-lo em objetos de decoração. Foto: Arquivo pessoal

Eu comecei há 18 anos, aqui em Santos, esculpindo em pranchas de surfe velhas e quebradas – o que restava da fabricação das mesmas. Fiz arte com esses resíduos coletados, e dei ao primeiro projeto o nome de Surfrecycle“, contou o artista plástico.

Para viabilizar o projeto, nos últimos dois anos, Daniel trocou algumas de suas obras por pranchas de stand up, e começou a alugá-las no Canal 3. Além disso, ele conta com uma ‘guardaria’ – local alugado por surfistas para deixarem suas pranchas e acessórios de surfe.

Daniel faz questão de lembrar do auxílio da Prefeitura de Santos e da ONG Abrelpe, que viabilizaram uma tenda para o projeto e uma pequena estrutura de coletores, além de uma balança. “Mas, eu ainda preciso de uma ajuda para transportar a barraca, trazer as pranchas do projeto, além de um lugar para tratar esses resíduos“, ressaltou.

Nas aulas, Daniel busca passar o básico do stand up aos participantes. Além de desenvolver uma atividade esportiva e manter a limpeza das praias, o objetivo do projeto é conscientizar os alunos sobre a importância da ação para o meio ambiente. “Além da coleta dos resíduos, o projeto nos mostra a responsabilidade que temos com o nosso planeta“, concluiu.

Para participar do projeto, o interessado deve comparecer à beira-mar, na Avenida Vicente de Carvalho, em frente ao número 36, no Boqueirão. O atendimento é realizado aos sábados e domingos, das 11h às 17h.

Fonte: A Tribuna

About the author

Da Redação

Da Redação

Aloha Spirit Club é a maior fonte de informação sobre water sports da América Latina. Nossa equipe traz até você conteúdos de qualidade e antenados com as novidades e tendências desse universo.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.