Brasil fica com o vice-campeonato dos Jogos Pan-Americanos de Surfe e SUP

Atletas do Brasil garantem a prata no ranking das nações com medalhas de Luiz Diniz, Caio Vaz, Nicole Pacelli, Chloé Calmon, Atalanta Batista e Wenderson De Almeida. Peru conquista o Ouro
Equipe brasileira fica com a Prata nos Jogos Pan-Americanos de Surfe e SUP. Foto: AP

Após seis dias de intensas disputas, chegou ao fim neste sábado (08) a edição de 2018 dos Jogos Pan-Americanos de Surfe e SUP, realizados no pico de Punta Rocas, Lima, Peru.

O evento, que contou com três modalidades (SUP, Longboard e Surfe Shortboard), divididas nas categorias Masculino e Feminino, contou com a participação de 20 nações e serviu como classificatória para os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, ocasião em que, pela primeira vez na história, o SUP e o Surfe participarão de um evento ligado ao COI (Comitê Olímpico Internacional).

Ao longo do dia foram sendo decididos os medalhistas em todas as categorias participantes do evento, e as disputas começaram bem cedo, às 7h15, com as finais do SUP Race Técnico.

A primeira categoria a entrar na água foi a Masculino, com a presença de dois brasileiros na água: Vinnicius Martins e Luiz Guida “Animal”.

Itzel Delgado. Vinnicius veio um pouco mais atrás em um pelotão encabeçado por Zane Schweitzer (EUA) e Giorgio Gomez (COL).

As ondas quebravam em torno de quatro pés, com pouco vento, boa formação e intervalos mais longos, tornando assim um pouco mais fácil a vida dos finalistas.

Guida fez uma ótima largada e na primeira volta assumiu a liderança da prova ao lado do peruano Itzel Delgado. Vinnicius veio um pouco mais atrás em um pelotão encabeçado por Zane Schweitzer (EUA) e Giorgio Gomez (COL).

Aos poucos, porém, Vinni foi subindo de produção até encostar em Guida e Delgado, que segurou bem sua posição mantendo um ritmo bem forte de remada.

Aos poucos, a liderança foi sendo definida entre Vinnicius e Itzel, que conseguiram aproveitar melhor as ondulações para se distanciar de Guida e dos demais competidores.

O brasileiro e o peruano disputaram a liderança lado a alado, até que na corrida na areia Itzel conseguiu ultrapassar Vinni e conquistar a medalha de ouro para o delírio da torcida local.

Vinncius ficou com a Prata e uma vaga para representar o Brasil na categoria nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.

Luiz Guida “Animal” foi o quinto colocado, chegando junto com Schweitzer, quarto lugar, e Giorgio, terceiro colocado.

FEMININO

Na disputa feminina, também com a presença de duas brasileiras, Lena Guimarães Ribeiro, acabou largando muito mal e teve uma árdua tarefa de recuperação pela frente.

Jessika Moah fez uma largada melhor, mas na altura da primeira boia de contorno, acabou se embolando com o pelotão de remadoras e perdendo posições preciosas. Ambas as brasileiras tiveram que correr atrás do prejuízo e, ao final, Lena acabou cruzando a linha de chegada na quarta colocação, enquanto Moah terminou em sexto lugar.

Já a liderança foi disputada entre April Zilg (EUA) Lina Augatis (CAN) e a porto-riquenha Nimsay Garcia.

April mais uma vez mostrou boa leitura de mar para aproveitar o timing certo das séries e usar as ondas a seu favor, abrindo assim boa vantagem sobre as demais competidoras.

Lena e Moah instantes antes da largada da final do SUP RAce Técnico Feminino. Foto: AP

Já a briga pela segunda colocação foi bem disputada entre Lina Augatis e Nimsay Garcia, que acabou levando vantagem na linha de chegada, ficando com a segunda colocação.

Lena e Moah acabaram ficando, respectivamente, na quarta e quinta colocação.

April Zilg. Foto: PASA / Reprodução

Este resultado garantiu a Lena a vaga para os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 ao lado de Vinni no SUP Race Técnico.

OURO PARA CHLÓE

Terminadas as disputas de Race, a organização colocou na águas as eliminatórias de Surfe Shortboard. Dessa vez, infelizmente, os atletas do Brasil não conseguiram avançar às finais da categoria. Robson Santos foi o melhor brasileiro na prova, ficando na terceira colocação na semifinal, que lhe garantiu a 5ª colocação na prova.

O título do Surfe Shortboard ficou com o venezuelano Francisco Bellorin, que comemorou muito a inédita conquista para seu país (veja todos os medalhistas no final desta matéria).

No feminino, nossa melhor representante na disputa foi Tainá Hinckel, ficando na 13ª colocação. Brisa Henessys, da Costa Rica, foi a grande campeã da prova.

Mas se no Shortboard não conseguimos emplacar medalhas, no Longboard a história foi diferente.

Phil Rajzman, Wenderson De Almeida, Atalanta Batista e Chloé Calmon deram show, e por muito pouco não emplacamos nossos quatro representantes nas finais, caso Phil não parasse na semifinal que foi bem polêmica, uma que vez que muitos deram como certa a vitória do brasileiro que, no entanto, na avaliação dos juízes, ficou com a terceira colocação na bateria (avançavam os dois primeiros à final) e a quinta colocação geral no evento.

Chloé Calmon medalha de ouro. Foto: PASA / Reprodução

Wenderson De Almeida, porém, avançou à finalíssima e ficou com a quarta colocação.

Já no feminino, Chloé Calmon e Atalanta Batista dominaram a final e fizeram uma dobradinha verde e amarela no pódio. Chloé ficou com o ouro e Atalanta com a prata e a torcida brasileira comemorou muito o resultado.

SUP WAVE

Luiz Diniz ficou com a medalha de prata. Foto: AP

Nas finais de SUP Wave o time brasileiro também vinha muito forte. Aline Adisaka, Nicole Pacelli, Caio Vaz e Luiz Diniz vinham colecionando scores altíssimos ao longo de todo o evento e a expectativa de que o quatros conquistassem uma vaga na final era bem alta.

E quase conseguimos. Aline Adisaka, que foi medalha de bronze em 2017, infelizmente não conseguiu encontrar boas ondas durante a semifinal e encerrou sua participação em terceiro na bateria e em 5º lugar no ranking final do evento.

Nicole Pacelli conseguiu avançar à final do feminino que foi disputada entre a brasileira, as peruanas Brissa malaga, Vania Torres, e a floridiana Izzy Gomez, que, assim como seu irmão, Giorgio, optou por participar do Pan-Americano representando a Colômbia, país do qual sua família é originária.

Aline Adisaka parou na semifinal. Foto: PASA / Reprodução

A final do feminino foi bem disputada e a brasileira começou bem, fazendo dois bons scores. Enquanto isso, a campeã pan-americana de 2017, Vania Torres (PER) foi subindo de produção e encostou em Nicole na liderança.

Mas ao final, porém, foi Izzi quem levou a melhor, virando a bateria com um 6.83 que lhe garantiu a medalha de ouro (primeira da Colômbia na história dos Jogos). Vania Torres ficou com a Prata e Nicole com o Bronze, resultado que garantiu à brasileira uma vaga para representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.

No Masculino, Caio Vaz e Luiz Diniz garantiram um lugar na finalíssima. E, se no Feminino a briga foi dura, aqui a situação foi a mesma.

Representando a Colômbia, os irmãos floridianos Giorgio e Izzi Gomez ficaram com os dois ouros no SUP Wave. Foto: PASA/ Reprodução

Os brasileiros enfrentaram Giorgio Gomez (COL) e Finn Spencer (CAN) em uma final caracterizada por scores altos.

Até a primeira metade da bateria era muito difícil apontar um favorito, mas, aos poucos, Giorgio e Diniz foram surfando boas ondas e se destacando.

Nos minutos finais, a disputa ficou bem polarizada entre os dois, mas Giorgio conseguiu assegurar a primeira colocação com um 6.63, enquanto Diniz, na avaliação dos juízes, não conseguiu acumular scores suficientes para virar o jogo. Resultado que também contrariou a opinião da torcida brazuca.

Caio Vaz garantiu o bronze para o Brasil. Foto: PASA / Latinwave

Pouco antes do fim da bateria, Caio Vaz ainda conseguiu surfar uma ótima onda, fazendo um 7 redondo, mas o título, porém, acabou ficando mesmo com Gomez. Luiz Diniz ficou com a prata e Caio Vaz com o Bronze.

Ao fim das disputas, o Peru sagrou-se como a nação campeã dos Jogos Pan-Americanos de Surfe e SUP 2018. O Brasil ficou com o vice-campeonato e a Argentina fechou o pódio na terceira colocação.

Nicole Pacelli ficou com o Bronze e garantiu uma vaga nos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019. Foto: PASA / Reprodução

MEDALHISTAS JOGOS PAN-AMERICANOS DE SURFE E SUP 2018

SUP WAVE MASCULINO

1 Giorgio Gomez COL

2 Luis Diniz BRA

3 Caio Vaz BRA

4 Finn Spencer CAN

SUP WAVE FEMININO

1 Izzi Gomez COL

2 Vania Torres PER

3 Nicole Pacelli BRA

4 Brissa Malaga PER

(Aline Adisaka 5º)

LONGBOARD MASCULINO

1 Benoit Clemente PER

2 Surfiel Gil ARG

3 Lucas Garrido Lecca PER

4 Wenderson De Almeida BRA

LONGBOARD FEMININO

1 Chloé Calmon BRA

2 Atalanta Batista BRA

3 Brisa Henessys CRC

4 Maria Fernanda Reyes PER

SURFE SHORTBOARD MASCULINO

1 Francisco Bellorin VEN

2 Anthony Fillingim CRC

3 Alonso Correa PER

4 Jhonathan Corzo MEX

SURFE SHORTBOARD FEMININO

1 Brisa Henessys CRC

2 Dominic Barona ECU

3 Daniella Rosas PER

4 Chelsea Tuach BAR

PÓDIO DAS NAÇÕES

Ouro – Peru

Prata – Brasil

Bronze – Argentina

Veja os resultados completos AQUI.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Vinnicius Martins é Prata!

Galeria de imagens das semis do race Técnico

Race brasileiro está na final do Pan-Americano

Brasileiros dão show em dia intenso

SUP Wave Brazuca mostra sua força

Competidores recebem inédita preparação olímpica

SUP Wave faz sua estreia nesta quarta

Pan-Americano tem início com boas ondas

Desfile das Nações abre o Pan-Americano

Brazucas desembarcam em Lima

PASA 2018 | Confira a programação

Entrevista com Karin Sierralta, presidente da PASA

Spread the love

About the author

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello é Editor-chefe do Aloha Spirit Club. Pioneiro na produção de conteúdo direcionado a esportes de água como SUP, va'a e paddleboard, foi fundador da Revista Fluir Standup e do site SupClub e tem artigos publicados em diversos veículos do segmento, como revista Go Outside, Alma Surf, site Waves, entre outros.



error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.