EUA mostram sua força nas provas técnicas do Mundial da ISA

Conquistando três ouros nas provas de SUP Race Técnico, equipe dos Estados Unidos domina dia de disputas e agora lidera quadro geral de medalhas
Jade Howson comemora a inédita medalha de ouro na categoria Junior Sub-18. Foto: ISA / Sean Evans

A quarta-feira definiu mais medalhistas no Mundial de SUP e Paddleboard da ISA, que concluiu as disputas Técnicas em Wanning, China.

SUP RACE

Daniel Hasulyo (HUN) e Candice Appleby (EUA) conquistaram as medalhas de ouro das provas técnicas de SUP Race no sexto dia de competição. Após a conclusão das eliminatórias do dia anterior, as finais entraram na água para disputas dentro de um circuito de boias de 1.5 km, onde os competidores fizeram um total de quatro voltas, totalizando 5 km de remada (mais sobre o desenho da prova técnica AQUI).

Condições bem “flat”, com poucas ondas e pouco vento, foram a tônica do dia, exigindo dos competidores muito mais vigor nas remadas do que surfe.

JUNIOR SUB-18

Gui Cunha e Christian Andersen disputaram a sexta colocação com uma diferença de apenas um segundo. Foto: AP

A equipe dos EUA (que nessa edição do Mundial juntou-se à equipe do Havaí) conquistou a primeira medalha de ouro do dia na Junior Sub-18 Technical Race, com a incrível vitória de Ryan Funk, um talento da nova geração que vem sendo treinado por Connor Baxter e que certamente irá dar muito trabalho nas competições daqui pra frente.

Em seguida, no Feminino Junior Sub-18, outra competidora norte-americana, Jade Howson, conquistou a medalha de ouro e definitivamente colocou os EUA de volta à briga pelo lugar mais alto no quadro de medalhas.

As provas técnicas da categoria Junior realmente impressionaram pelo alto nível técnico da molecada. Ryan concluiu sua prova com o tempo de 31:08:86 seguido de perto por Oliver Houghton (NZ), medalha de prata, Sam McCullough (AUS), medalha de bronze e Noic Gariou (FRA), medalha de cobre. Os quatro abriram vantagem sobre os demais competidores a partir da segunda volta e mantiveram uma briga bem apertada pela primeira colocação até o fim.

Um pouco mais atrás, vinham o brasileiro Guilherme Cunha, Araón Sanchéz (ESP) e Christian Andersen (DIN), compondo um segundo pelotão igualmente muito disputado. Na reta final, porém, o espanhol conseguiu abrir vantagem ao encontrar uma “micro-onda” que o conduziu até a areia, enquanto Gui Cunha e Christian Andersen chegaram juntos à linha de chegada – com uma vantagem de apenas um segundo por parte do dinamarquês (33:07:76 contra 33:07:77 do brasileiro).

Ryan Funk. Foto: ISA / Jimenez

Guilherme, aos 15 anos, concluiu sua participação na Junior Sub 18 na sétima colocação. Um desempenho excelente para quem competiu em uma categoria bem acima de sua idade.

Na Junior Feminino, sem a participação de atletas do Brasil, a Prata ficou com a francesa Melanie Lafenetre, o Bronze com a dinamarquesa Caroline Küntzel e a italiana Laura Dal Pont fechou o pódio com a medalha de cobre.

MEDALHISTAS JUNIOR SUB-18

MASCULINO

Ouro – Ryan Funk (EUA)

Prata – Oliver Houghton (NZL)

Bronze – Sam McCullough (AUS)

Cobre – Noic Gariou (FRA)

FEMININO

Ouro – Jade Howson (EUA)

Prata – Melanie Lafenetre (FRA)

Bronze – Caroline Küntzel (DEN)

Cobre – Laura Dal Pont (ITA)

RACE TÉCNICO OPEN

Daniel Hasulyo: “Não consigo descrever o que estou sentindo”. Foto: ISA / Evans

O domínio norte americano nas provas técnicas foi interrompido com a vitória do húngaro Daniel Hasulyo, mas seguido por Connor Baxter, que ficou com a Prata e deu mais força ainda para os EUA.

Essa medalha de prata lhe garantiu, de quebra, uma vaga nos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019 por ter sido o melhor atleta finalista das Américas na competição.

Baxter chegou a liderar boa parte da prova, porém, Daniel Hasulyo sobe administrar a distância e no momento certo “deu o bote” abrindo vantagem ao conseguir surfar uma marola salvadora:

Este é o melhor sentimento de todos os tempos. Fui sexto na corrida técnica e quarto na distância no ano passado. Este ano coloquei toda a minha dedicação nisso. O trabalho duro valeu a pena e hoje eu conquistei minha medalha de ouro. Eu não consigo nem descrever o que estou sentindo!”, disse um emocionado Daniel Hasulyo.

Completando o pódio ficaram neozelandês Trevor Tunnington com a medalha de bronze e Bruno Hasulyo, irmão de Daniel, com o cobre.

Vinnicius Martins e Guilherme Cunha. Foto: AP

A prova contou com a participação de dois brasileiros: Vinnicius Martins, que concluiu a prova na sétima colocação, e Guilherme Cunha, que entrou novamente na água, dessa vez para disputar a final da categoria Open, cruzando a linha de chegada na 20ª colocação entre os 40 finalistas.

No feminino a veterana Candice Appleby mostrou que segue em grande forma conquistando o ouro em uma disputa ombro a ombro contra a australiana Terrene Black até a linha de chegada.

É incrível ganhar o ouro“, disse Appleby. “Eu nunca imaginei que estaria competindo em uma prova de SUP na China!”, revelou a atleta que agora tem duas vagas garantidas para os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019: no SUP Wave e Race Técnico.

Candice Appleby e Terrene Black disputaram o ouro ‘ombro a ombro’. Foto: ISA / Gimenez

A australiana Shakira Westdorp, Ouro na prova de SUP Wave, aumentou seu estoque particular de medalhas conquistando mais uma, dessa vez, de Bronze, para seu país, enquanto a francesa Olivia Piana, chegando na quarta colocação, ficou com o Cobre.

A brasileira Jessika Moah também disputou a final, porém acabou ficando presa em um pelotão intermediário com muitas competidoras e acabou perdendo posições preciosas, cruzando a linha de chegada na 15ª colocação entre as 33 competidoras que disputaram a finalíssima.

MEDALHISTAS RACE TÉCNICO OPEN

MASCULINO

Ouro – Daniel Hasulyo (HUN)

Prata – Connor Baxter (EUA)

Bronze – Trevor Tunnington (NZL)

Cobre – Bruno Hasulyo (HUN)

FEMININO

Ouro – Candice Appleby (EUA)

Prata – Preto Terrene (AUS)

Bronze – Shakira Westdorp (AUS)

Cobre – Olivia Piana (FRA)

PADDLEBOARD

Apesar do susto na primeira volta, Lachie Lansdown confirmou seu favoritismo. Foto: ISA / Evans

Nas disputas técnicas de Pro Paddleboard, o australiano Lachie Lansdown confirmou seu favoritismo e ficou com o Ouro.

Lansdown , no entanto, deu um susto na sua torcida ao cair de sua prancha durante a primeira volta, tendo que fazer uma prova de recuperação seguindo Hunter Pflueger (EUA) praticamente até a reta final, quando conseguiu ultrapassar o norte-americano com a ajuda de uma pequena onda.

Daniel Hart, da Nova Zelândia, ficou com o Bronze e Jadon Wessels, da África do Sul, com a medalha de cobre.

Patrick Winkler. Foto: ISA / Jimenez

O Brasil foi representado na prova por Patrick Winkler, que após uma boa largada, perdeu algumas posições ficando com a décima colocação na prova.

A prova técnica feminina de Paddleboard foi uma das mais disputadas do dia.

A australiana Grace Rosato, que está substituindo Jordan Mercer, que não viajou à China por conta de uma contusão, não decepcionou.

Rosato, em sua estreia no Mundial da ISA, conquistou a medalha de ouro seguida pela espanhola Judit Verges, com a Prata, a dinamarquesa Katrine Zinck, Bronze e a norte-americana Kailyn Winter com o Cobre.

Grace Rosato. Foto: ISA / Jimenez

MEDALHISTAS PRONE PADDLEBOARD TÉCNICO

MASCULINO

Ouro – Lachie Lansdown (AUS)

Prata – Hunter Pflueger (EUA)

Bronze – Daniel Hart (NZL)

Cobre – Jadon Wessels (RSA)

FEMININO

Ouro – Grace Rosato (AUS)

Prata – Judit Verges (ESP)

Bronze – Katrine Zinck (DEN)

Cobre – Kailyn Winter (EUA)

EUA LIDERAM O QUADRO DE MEDALHAS

Apesar das duas medalhas de ouro conquistadas pelos australianos no Prone Paddlboard, o dia foi mesmo dos norte-americanos.

A Medalha de Ouro Tripla dos EUA deu a eles um valioso impulso na liderança do ranking entre as nações com seis medalhas individuais. A Austrália, com cinco medalhas ocupa atualmente a segunda colocação, segunda pela França, em terceiro, e a Espanha, em quarto. O Brasil ocupa atualmente a 12ª colocação.

Clique AQUI e veja como está o ranking das nações.

VÍDEO DO DIA

DAY OFF

Na quinta-feira não haverá competições e o evento será transferido para a Península de Shenzhou, onde as provas de longa distância e Sprint serão realizadas, além das disputas de revezamento por equipes encerrando o Mundial.

Confira o cronograma:

29 de novembro – Dia de descanso

Local: Península Shenzhou

30 de novembro – Sprint Race

1 de dezembro – Race Longa Distância

2 de dezembro – Race de Revezamento e Cerimônia de Encerramento

ACOMPANHE AO VIVO

O Mundial da ISA tem transmissão ao vivo aqui no AlohaSpiritClub.com.br, mídia oficial do ISA World SUP and Paddleboard Championship. Hainan tem uma diferença de onze horas para fuso horário brasileiro. Portanto, a previsão de início da transmissão será às 23h30 (horário de Brasília) de quinta-feira (29) para quem acompanha as provas do Brasil.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Brasil garante vaga na final do SUP Race

Hoje é dia de Race Técnico

Luiz Diniz é Ouro e Caio Vaz Bronze!

Brasileiros a um passo da finalíssima

No SUP Wave, brasileiros tem nova atuação de gala

Um balanço do dia 01 do Mundial da ISA

Caio Vaz e Luiz Diniz largam na frente

Nações celebram abertura de Mundial

Vai começar o Mundial da ISA

Brazucas fazem o reconhecimento da área

Brasil preparado para o desafio

Spread the love

About the author

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello é Editor-chefe do Aloha Spirit Club. Pioneiro na produção de conteúdo direcionado a esportes de água como SUP, va'a e paddleboard, foi fundador da Revista Fluir Standup e do site SupClub e tem artigos publicados em diversos veículos do segmento, como revista Go Outside, Alma Surf, site Waves, entre outros.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.