Shell Va’a vence a primeira etapa da Hawaiki Nui Va’a

Shell Va’a domina a prova, vence primeiro embate contra a EDT e larga na frente na corrida pelo título da 27ª edição da Hawaiki Nui va’a

Shell Va’a venceu nesta quarta-feira (31) a primeira etapa do Hawaiki Nui Va’a. A equipe de Motu Uta completou a prova de 44,5 km entre Huahine e Raiatea com o tempo de 3h20m09s.  A EDT Va’a, vice campeã da etapa, no entanto, vendeu caro a derroa, chegando apenas 20 segundos atrás dos líderes com o tempo de 3h20m31s. OPT Va’a completou o pódio na terceira colocação com o tempo de 3h23m58s.

Liderada por David Tepava e com alguns desfalques este ano, a Shell Va’a , no entanto, mostrou sua força e mesmo seguida de perto pela EDT Va’a, dominou a prova praticamente do início ao fim conseguindo anular de forma muito eficiente anular os ataques da EDT, vencedora das últimas quatro edições da Hawaiki Nui Va’a.

Considerada a mais difícil prova de Va’a do mundo, a Hawaiki Nui Va’a é anualmente realizada, há 27 anos, na Polinésia Francesa, passando pelas ilhas de Huahine, Raiatea, Taha’a e Bora Bora, sendo realizada em três etapas consecutivas, de 31 de outubro a 02 de novembro.

Pódio da primeira etapa: Shell Va’a (1º), ETD Va’a (2º) e OPT Va’a (3º). Foto: Reprodução

BRASILEIROS

Este ano não temos equipes brasileiras na prova, mas há dois atletas do Brasil inscritos em equipes estrangeiras.

A equipe Banque Polynesie, da Polinésia Francesa, que conta com a participação do brasileiro Massimo Novello concluiu a etapa na 11ª colocação da Master, enquanto o brasileiro Igor Sobreira competiu junto à equipe havaiana Lanikai Canoe Club, 25ª colocada na Open.

Nossa redação entrou em contato com o brasileiro Massimo Novello que comentou a emoção de participar mais uma vez de um evento tão importante da canoagem polinésia:

A primeira vez que vim ao Taiti, em 2005, competimos na Hawaikinui com uma equipe 100% brasileira formada por 6 remadores de diferentes clubes do Rio. Na época, este foi um grande desafio e acredito que todos trouxeram muito aprendizado na bagagem. Depois deste ano, voltei a remar por aqui em outras 4 oportunidades. Sem sombra de dúvida a última tem sido a mais impactante. Antes da prova desta quarta-feira, convivi praticamente um mês com a minha equipe, com treinos diários e muita experiência cultural sobre os costumes locais. 

A estrutura que o clube Banque de Polynesie aos remadores é similar aos clubes mais conhecidos da prova. Estamos em uma casa ao lado das equipes OPT e Air Tahiti, que estão constantemente disputando as primeiras colocações. Além dos oito remadores, a equipe é composta por outras pessoas que auxiliam na logística, nutrição, burocracia local e preparação física. São quase vinte pessoas envolvidas.

Tenho muito a agradecer ao Banque de Polynesie que, através do seu treinador Tamatoa Arbelot, fez o convite para mim durante a Te Aito 2017″, comenta Massimo, que nessa quinta tem um novo desafio ao lado de sua equipe.

ACOMPANHE AO VIVO

Nesta quinta-feira (1) a partir das 16h30 (horário de Brasília) as equipes tem um novo desafio nos 26 quilômetros que separam Raiatea de Taha’a.

A competição terá transmissão ao vivo e pode ser acompanhada no Aloha Spirit Club (clique aqui).

MATÉRIAS RELACIONADAS

Hawaiki Nui começa nesta semana

 

Spread the love

About the author

Da Redação

Da Redação

Aloha Spirit Club é a maior fonte de informação sobre water sports da América Latina. Nossa equipe traz até você conteúdos de qualidade e antenados com as novidades e tendências desse universo.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.