Brasileiro de Sprint | O fator Arthur Santacreu

Especialista em provas de SUP Race Sprint Olímpico, Arthur Santacreu participa da última etapa do Brasileiro mirando uma vaga para o Mundial da ISA e com potencial para fazer um belo estrago na raia de campo grande
Após o título no Brasileiro de Sprint em 2015, Arthur Santacreu (à frente) provou no Mundial da ISA, em 2017, que também está entre os remadores mais rápidos do mundo. Agora, em Campo Grande (MS), ele chega com potencial para fazer um belos estrago na prova. Foto: Reed/ ISA
Medalha de bronze na prova de SUP Sprint Olímpico no Mundial da ISA de 2017, realizado em Copenhague, na Dinamarca, Arthur Santacreu deixou pra trás monstros sagrados do SUP mundial, como Connor Baxter, e protagonizou uma final espetacular, quando chegou lado a lado com o com neozelandês Trevor Tunnington na segunda colocação. Porém, após muita conversa entre os juízes, que recorreram à comissão técnica reavaliar a chegada dos atletas no replay, foi constatada uma milimétrica vantagem do neozelandês que acabou ficando com a prata e Tuca, com o bronze em um pódio encabeçado por Casper Steinfath.
Foi a consagração internacional de Santacreu, que por aqui já havia deixado sua marca na modalidade quando conquistou o título brasileiro de Sprint em Foz do Iguaçu, em 2015.
Um talento lapidado a horas de treino e estudo que chega aos Jogos Radicais do Urbanos praticamente sem chances de brigar pelo título brasileiro, mas como um dos maiores favoritos a vencer a prova.
Sua meta, no entanto, é outra:  conquistar uma vaga para o mundial da China.
Literalmente arrumando as malas para a viagem, Athur gentilmente separou um tempinho para uma breve conversa  sobre suas expectativas. Confira:
Arthur Santacreu está há meses treinando para a prova de Sprint: “Minha meta é o Mundial, e só tem um caminho para alcançá-la!” Foto: AP

Como está sua preparação para a prova de Mato Grosso do Sul?

Depois do Kialoa Paddle Challenge passei a fazer treinos apenas com enfoque no sprint. Já considerei o descarte do Kopa, pois sabia que minha resistência estaria baixa para isso.

Os treinos mudaram completamente, saindo de treinos com poucos descansos e grandes distâncias para tiros de curta distância e com muito descanso. A carga horária de treinos cai bruscamente, enquanto a intensidade aumenta ao nível extremo!

Das 10 horas de treinos semanais que estava acostumado, caiu para metade! Nas provas que estamos acostumados treinamos sobre fadiga. Lá para o Sprint, o objetivo é estar inteiro cada treino, para chegar ao limite do corpo a cada treino.

O que você acha que tem de mais legal nesse tipo de prova?

Com certeza o que mais gosto do Sprint são as baterias! É muito emocionante tanto para quem compete quanto para quem assiste! Diria até que é ainda mais emocionante para quem está assistindo! Eu adoro as duas partes, ver e competir! Mas treinar… (risos) diria que são os piores treinos do ano! O sofrimento é diferente! Prefiro passar horas treinando resistência do que uma hora de sprints!

Tuca Santacreu comemora com a equipe brasileira a medalha de bronze na prova de Sprint,no Mundial da ISA em 2017. Foto: Reed / ISA

A vaga para o Mundial da ISA é a sua meta nessa competição?

Com certeza quero esta vaga! Mas tudo pode acontecer! É uma prova cheia de surpresas, como vimos nas edições anteriores! Ninguém deve ser subestimado, e tenho bons adversários para enfrentar! Minha meta é o Mundial, e só tem um caminho para alcançá-la! Campo Grande é um obstáculo nesse caminho ao qual tenho que passar!

Que prancha você está levando?

Estou com a mesma prancha que conquistei o bronze no mundial do ano passado! Minha Rats Race de sprint 12’6” x 22” feita pelo Ratones! Até hoje foi a mais rápida que já subi para este tipo de prova!

A tua habilidade em provas de Sprint é indiscutível, e a medalha ano passado no Mundial da ISA é a prova disso. Onde você acredita que vem esse diferencial?

Acredito não ser um fator, mas a soma de vários detalhes! O treinamento específico para isso, ao qual poucos buscam, é sem dúvida o crucial

Givago Ribeiro, do Kayak velocidade, me ensinou e treinou para este tipo de prova como ninguém! Além disso, juntamente com o Ratones, estamos sempre buscando pela prancha certa e específica para sprints, melhorando a cada shape.

Tudo se resume a minha busca constante pelos detalhes! A busca dos 0,1% mais próximo da perfeição! E essa busca nunca acaba, sempre haverá o que melhorar! É por isso que faço testes e mais teste durante meus treinos! Diferentes técnicas de remada, tanto para aceleração quanto para manutenção da velocidade, diferentes números de remadas de cada lado, trocando mais ou menos vezes de lados, diferentes configurações de remos… Cada ideia que tenho, levo para água e testo! Isso é o que faz a diferença nos milésimos da disputa pela primeira colocação!

Arhur Santacreu conta com patrocínio de pranchas Ratones e apoio de remos Kialoa.

Instagram @arthursantacreu

Os Jogos Radicais Urbanos, válido com última etapa do circuito brasileiro de SUP race e seletiva para o Mundial da ISA, acontece neste sábado (13), e terá cobertura do AlohaSpiritClub e transmissão ao vivo aqui no site.

Para informações gerais sobre os Jogos Radicais Urbanos clique AQUI

MATÉRIAS RELACIONADAS

Os títulos nacionais já estão decididos?

Spread the love

About the author

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello é Editor-chefe do Aloha Spirit Club. Pioneiro na produção de conteúdo direcionado a esportes de água como SUP, va'a e paddleboard, foi fundador da Revista Fluir Standup e do site SupClub e tem artigos publicados em diversos veículos do segmento, como revista Go Outside, Alma Surf, site Waves, entre outros.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.