México pra gente grande

Gustavo Costa faz uma trip relâmpago à Zicatela para participar do Tube Riding Contest e surfar novamente as poderosas ondas da “Mexican Pipeline”. Confira o relato
Gustavo Costa bota pra baixo em Zicatela. É preciso ter disposição e estar com a remada em dia. Foto: AP

Após dois anos sem realizar uma surftrip, aproveitei a promoção da passagem em milhas e no inicio de setembro parti rumo ao México, para uma semaninha na Paradisíaca Puerto Escondido, onde fui convidado para participar do Tube Riding Contest, evento que já tinha alguns anos que não acontecia, e agora voltou a ser realizado nos dias 14, 15 e 16 de Setembro 2018, na praia de Zicatela.

O torneio, que é organizado pela Central Surf e Angel Salinas, veterano do Longboard e do SUP Mexicano, reuniu alguns nomes do SUP Surf mundial, como os Mexicanos Fernando Stalla e Geovany Barcian, o Californiano Jess Leedy, o Peruano Big Rider, que vive em Puerto Escondido e se consagrou campeão do evento, Barto Cerutti, dentre outros.

Na Modalidade Long Board, também participaram atletas de quatro países, que deram um verdadeiro show de tubos e manobras nas perfeitas ondas mexicanas.

Galera reunida para mais uma edição do Tube Riding Contest, que atrai lonboarders e SUP surfistas do mundo todo. Foto: AP

No primeiro dia do evento, o mar na “Mexican Pipeline”, como também é conhecida Zicatela, estava em torno de 15 pés, subindo no dia seguinte para ate 20 pés. Assim, por questão de segurança, a organização resolveu transferir a competição para a praia de La Punta de Zicatela, onde teve inicio no sábado, com ondas perfeitas, com series de até 2 metros, e com extensão de até três sessões que proporcionavam verdadeiro show de manobras aos competidores.

No domingo ocorreu a grande final, onde o Peruano Barto Cerutti, foi campeão, pegando as maiores e mais longas esquerdas tubulares, seguindo pelo Mexicano Fernando Stalla, e Geovany, de Acapulco, em terceiro. Eu fiquei na quinta colocação.

A praia foi fechada exclusivamente para o evento, e os três competidores de cada bateria, tinham 35 minutos para escolher as melhores ondas, onde se somavam as duas melhores.

Perfeição de La Punta. Foto: AP

A premiação total foi de USD 4.000,00 dividido entre as duas modalidades.

No próximo ano, Angel Salinas promete organizar um evento com maior premiação e convidar mais atletas de toda parte do mundo.

Realmente a energia e a força das ondas de Puerto Escondido são impressionantes.

É preciso estar no rip e com a remada boa para cair nos maiores dias, além de ter atitude para botar pra baixo… Ainda mais de SUP.

Gustavo Costa em ação durante o Tube Riding Contest. Foto: AP

Na segunda feira após o evento, o mar ainda estava com 15 pés, pesado. Em mais de duas horas de surf só peguei duas ondas, que juntamente com as outras perfeitas dos dias anteriores, em La Punta, fizeram valer demais o sacrifício da maratona de aeroportos, arrastando um monte de tralhas e que com certeza fizeram valer a trip.

Agradecimentos a Hardsport, Abubakir Paddles, Refran EPS e ao nosso Grande Deus!

Aloha e até o próximo ano, Muchachos!

GALERIA DE IMAGENS

Custom Gallery: images not found

Spread the love

error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.