Votação sobre liberação da caça a baleias será nesta sexta-feira

Florianópolis (SC) é palco de evento mundial que discute o fim da proibição da caça comercial de baleias com a participação de 88 países
A “Declaração de Florianópolis” aprovada nesta quinta-feira (13) garante a proteção dos mamíferos em águas brasileiras, mas proposta apresentada pelo Japão, que será votada na sexta-feira (14), preocupa. Foto: Reprodução

Pela primeira vez o Brasil está sendo a sede da International Whaling Commission (IWC), também conhecida como Comissão Internacional das Baleias (CBI), evento anual que recebe autoridades de todo mundo para debater questões relativas a esses mamíferos, passando pela pesquisa à exploração comercial.

O evento teve início na última segunda-feira (10) nas dependências do Costão do Santinho, em Florianópolis (SC), e vem gerando muito polêmica e protestos por conta da proposta apresentada pelo Japão e apoiada por países de tradição baleeira, como Islândia e Noruega, solicitando a de liberação da caça comercial das baleias (hoje, em tese, esses animais só podem ser abatidos para fins científicos e em números controlados).

A proposta seria votada na manhã desta quinta-feira (13), porém, teve a votação adiada para sexta-feira (14). A caça comercial das baleias está proibida há 32 anos, mas o país asiático diz que é hora de revisar o regulamento e liberar a atividade.

DECLARAÇÃO DE FLORIANÓPOLIS

Mas enquanto o mundo aguarda apreensivo a mais aguardada da pauta do encontro ser votada, uma importante vitória, ao menos para o Brasil foi comemorada nesta quinta (13) com a Declaração de Florianópolis, que coloca os princípios básicos de proteção e reafirma a moratória de caça à baleia, teve 40 votos a favor, 27 contra e 4 abstenções.

O documento propõe que os recursos da Comissão Internacional da Baleia sejam destinados inteiramente para a conservação, e não para a caça.

O governo brasileiro comemorou a aprovação da Declaração de Florianópolis. “Coloca os princípios básicos de proteção, reafirma a moratória de caça à baleia, coloca a questão da conservação como uma questão prioritária e, pela primeira vez em 20 anos, nós temos uma vitória expressiva. Então, estamos todos muito felizes”, afirmou o Secretário Nacional de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente José Pedro de Oliveira Costa, em entrevista à imprensa.

PROTESTOS

Populares juntaram-se à ambientalistas em protesto contra a proposta japonesa em frente ao Costão do Santinho, em Florianópolis (SC). Foto: Mayara Vieira/NSC TV

A possibilidade de que a caça de baleias seja liberada gera protestos desde a abertura do congresso por parte de ambientalistas e ONGs internacionais que estão em Florianópolis para acompanhar as discussões.

Agora as atenções se voltam para o resultado desta votação de sexta-feira, na qual, espera-se, a proposta do Japão seja derrotada.

Oitenta e oito países fazem parte da Comissão. A Austrália e o Grupo de Buenos Aires (GBA), formado por representantes da América Latina e Caribe, incluindo o Brasil, são os principais críticos da proposta japonesa.

Spread the love

About the author

Da Redação

Da Redação

Aloha Spirit Club é a maior fonte de informação sobre water sports da América Latina. Nossa equipe traz até você conteúdos de qualidade e antenados com as novidades e tendências desse universo.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.