Remar gripado faz mal?

Especialista avalia mitos e verdades sobre os efeitos e consequências de uma remada em nosso corpo, quando estamos acometidos por uma gripe ou resfriado
Estudos apontam que atividade física moderada ao ar livre tem o poder de acelerar nosso processo de cura no caso de gripes e resfriados. Foto: Reprodução

É bem provável que você já tenha se perguntado se deveria ou não sair para uma remada em meio a um resfriado ou uma gripe. Seria essa situação, de fato, um impeditivo?

Para Jodelle Fitzwater, professora de yoga há mais de 15 anos e atleta embaixadora da marca Bic SUP, tudo depende essencialmente de como você realmente está se sentindo e já deixamos claro que estamos falando de resfriados leves, que tiram um pouco de nossa energia, mas não ao ponto de nos impedir de executar alguma tarefa.

Claro que, obviamente, no caso de uma gripe forte, daquelas que nos deixam com o nariz completamente entupido, febre, entre outros sintomas, é melhor manter-se relaxado e descansar. Mas, o que a especialista trata aqui é daquela dúvida que nos acomete quanto o os sintomas aparecem e nos questionamos se isso não vai piorar nossa saúde. De acordo com ela, existem alguns mitos que precisam ser desfeitos:

“Já saí para remar várias vezes em estado gripal ou resfriada e sempre termino o treino me sentindo melhor do que antes, Recentemente, decidi sair em um dia frio. Estava resfriada e, apesar do sol, a temperatura era de 15 graus. As condições para remada eram perfeitas: pouco vento e águas calmas. Foi um treino leve e delicioso, e atribuo ao ar salgado do mar e à sensação de bem estar, gerada naquela manhã, uma recuperação bem mais rápida.” Conta Jodelle.

Jodelle Fitzwater (ao centro) pondo em prática a teoria: “Uma questão de moderação e bom senso”. Foto: arquivo pessoal

Mas isso significa que é recomendável sair para remar quando estamos gripados ou resfriados?

Jodelle acredita que sim, mas faz algumas considerações:

RELAXAMENTO ATIVO

Em um artigo recente, usei o stand up paddle para exemplificar o que eu chamo de “Relaxamento Ativo”, algo que é muito benéfico nos casos de resfriado.

Você ainda está ativando a maioria dos músculos do seu corpo, mas deve remar tranquilamente sem exagerar. A maioria de nós concorda que definitivamente há um elemento de relaxamento quando você está na água, até mesmo em remadas mais intensas.

Este ato de ativar todos os músculos aumenta e ativa a circulação, levando o fluxo sanguíneo para as áreas do corpo que são afetadas pelo resfriado ou vírus da gripe, o que acelera nossa função imunológica sem sobrecarregar o corpo.

VITAMINA D

Se você estiver remando em um dia de sol, invariavelmente irá aumentar a produção de Vitamina D de seu corpo e essa é uma das formas mais poderosas de melhorar a imunidade (obviamente protegendo-se dos exageros através do uso de filtro solar e vestuário adequado).

Há uma razão pela qual o inverno é a “estação da gripe” e o verão não. Geralmente as pessoas passam menos tempo ao ar livre no inverno e os níveis de vitamina D despencam, deixando nosso corpo mais vulnerável aos ataques de vírus e bactérias.

Além disso, ar fresco, mesmo que frio, pode ser um curador maravilhoso para sinusite, garganta e oxigenação das células em geral.

EXPOSIÇÃO AO FRIO

Novas pesquisas citam que a exposição ao frio, como remar nos meses de inverno, pode realmente melhorar a função imunológica.

Jodelle Fitzwater conta que teve acesso a um estudo que apontava mudanças marcantes como um aumento na produção de células do sistema imunológico que combatem vírus e patógenos, como células T auxiliares e de defesa, quando o corpo humano se encontrava exposto a baixas temperaturas.

Os cientistas chegaram à conclusão que uma exposição moderada ao frio teria um efeito de aceleração da cura de um resfriado ou gripe, contradizendo assim o que prega o senso comum.

Para concluir essa questão, a professora de yoga e remadora entende que é preciso também um pouco de belo bom senso:

“Você deve remar gripado ou resfriado? Bem, eu evitaria os treinos pesados e a mudança brusca de temperatura mergulhando em água gelada com o corpo aquecido, por exemplo, mas remaria resfriada sim! Até porque todas as vezes que eu saí pra remar gripada (e tomei os devidos cuidados) e a minha recuperação foi muito mais rápida, e isso vai de encontro a tudo que tenho lido e estudado sobre o tema”, conclui.

Para saber mais sobre o trabalho de Jodelle Fitzwater acesse getfitwithjodelle.com.

Nota: Este artigo tem a função de estimular a atividade física, no entanto, consulte um sempre um médico antes de iniciar qualquer prática esportiva seja qual for o seu estado de saúde.

Spread the love

About the author

Da Redação

Da Redação

Aloha Spirit Club é a maior fonte de informação sobre water sports da América Latina. Nossa equipe traz até você conteúdos de qualidade e antenados com as novidades e tendências desse universo.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.