Justiça seja feita ao 1° Festival de Remada da Baixada Santista

Resgatamos a história daquela que foi a primeira competição de stand up paddle do Brasil  e (possivelmente)  nosso primeiro Paddle Festival 
Retrato da única foto encontrada registrando o histórico pódio da disputa de SUP que contou com apenas cinco competidores (da esq. para dir).: Rubens, Picuruta Salazar, Haroldo Ambrosio (campeão), Fabio Chati e Daniks Fisher. Foto: Reprodução.

Uma das coisas mais legais em relação ao meu trabalho com o Aloha Spirit Club é a possibilidade de vivenciar e estudar a história de esportes que fazem a minha cabeça, assim como a de muitas pessoas.

Semana passada, após dias de trabalho fazendo pesquisa, conversando com pessoas do meio e garimpando o Google, publiquei uma matéria sobre aquele que seria o primeiro campeonato de stand up paddle realizado no Brasil. Estou falando do Festival Earthwave Ecovias, que em setembro de 2008 foi realizado no quebra-mar de Santos (SP) abrindo os caminhos para a estruturação competitiva do esporte no Brasil.

Pois bem, alguns dias depois da publicação da matéria, meu amigo de longa data, Rodrigo de Deus, entra em contato comigo para avisar: “Lulu, o meu festival veio antes!”.

Conversamos mais um pouco, verificamos datas e constato que ele está certo. O Rodrigo de Deus, pra quem não sabe, é um remador “das antigas” e educador físico de Santos (SP) que hoje comanda a Sup Six, uma das mais tradicionais e bacanas guarderias da cidade.

Em janeiro de 2008, uma aluna do Integral Surf Treino, um programa de treinamento e condicionamento físico específico para o surfe idealizado por Rodrigo, havia acabado de chegar do Havaí e lhe contou sobre uma novidade que estava virando febre por lá: o stand up paddle.

Rodrigo de Deus exibe a camisa e o troféu alusivos ao 1º Festival de Remada da Baixada Santista. Foto: AP.

Pouco tempo depois, um amigo lhe enviou um vídeo sobre um festival havaiano que reunia várias modalidades de water sports. Rodrigo contou que nunca havia visto nada parecido no Brasil: reunir várias tribos do mar, com uma filosofia de vida equivalente, em torno de um evento multiesportivo.

Com a ideia na cabeça, Rodrigo entrou em contato com seu amigo Paulo Marques, da YPS Eventos, que abraçou o projeto e assim nasceu o 1° Festival de Remada da Baixada Santista:

“Já havia feito alguns eventos pequenos e então tive a ideia de fazer o 1° Festival de Remada da Baixada Santista, conversei com o Paulo e ele topou o desafio. Sem a participação da YPS com certeza o evento não teria acontecido como foi. Juntamos a canoa havaiana, a canoagem, o paddleboard e a novidade do stand up paddle no mesmo evento. O Va’a e a canoagem já eram bem difundidos em Santos e região; o paddleboard, por causa dos surfistas, também. A grande dúvida era em torno do SUP, pois ainda era bem pouco conhecido”, conta o pioneiro.

Largada do Paddleboard e Longboard na prova de 2008. Foto: Reprodução.

Assim, em abril de 2008, era realizada primeira edição do festival, inaugurando um conceito hoje consagrado em eventos do porte do Aloha Spirit Festival (também criado nesse mesmo ano).

O festival foi muito bem recebido e uma tribo, que se imaginava pequena, percebeu que era bem maior do que imaginava.

Ali o stand up paddle brasileiro fez sua estreia no universo das competições com a participação de cinco competidores: Picuruta Salazar, Fabio Chati, Rubens, Daniks Fisher e Haroldo Ambrósio, que se sagrou campeão da prova de 2,5 km de remada sem tamanho de prancha definida (até porque, o conceito de pranchas “race” só viria a ser difundido anos mais tarde).

Largada da primeira prova de SUP da história com cinco competidores. Foto: Reprodução.

Mas se no SUP havia somente cinco pioneiros, as outras competições, por sua vez, bombaram, com muita gente disputando no paddleboard, no va’a, na canoagem oceânica e na remada de longboard. Para completar o clima polinésio, além das disputas, foram realizadas apresentações de dança e exposições temáticas.

O sucesso do evento foi fundamental para que Rodrigo lançasse mais dois festivais da remada, o segundo no final do mesmo ano e o terceiro, realizado em 2011, já com o SUP e modelo de “Paddle Festival” consagrados no Brasil.

Vencedoras do va’a feminino. Foto: Reprodução.

Pra finalizar, convido você a viajar no tempo e se deliciar com esse artigo escrito pelo meu amigo e ídolo Pauê Aagaard sobre esta competição histórica. O Pauê, a propósito,  fez pódio na prova de Remada de Longboard, mostrando também outra faceta do Festival da Remada: a da inclusão!

Fica aqui, portanto, meu reconhecimento e homenagem ao 1° Festival de Remada da Baixada Santista!

Aproveito a ocasião para convidar você a participar desse projeto de resgate histórico de esportes como o stand up paddle, paddleboard e o va’a. Conhece a história de algum evento pioneiro? Escreva para [email protected].

Spread the love

About the author

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello é Editor-chefe do Aloha Spirit Club. Pioneiro na produção de conteúdo direcionado a esportes de água como SUP, va'a e paddleboard, foi fundador da Revista Fluir Standup e do site SupClub e tem artigos publicados em diversos veículos do segmento, como revista Go Outside, Alma Surf, site Waves, entre outros.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.