Dez anos do primeiro campeonato de SUP do Brasil

Com a presença do havaiano Brian Keaulana, era realizado no quebra-mar de Santos (SP) , em 2008, a primeira competição de stand up paddle da história do Brasil. Conheça essa história que completa dez anos no mês de setembro
Picuruta e Leco exibem o primeiro troféu da história do SUP brasileiro que veio diretamente do Havaí e foi entregue pessoalmente por Brian Keaulana. Foto: AP.

O mês de setembro marca o aniversário de dez anos da realização da primeira competição de stand up paddle do Brasil.

O cartaz original de 2008: “Primeiro campeonato de Stand up entre as atrações”. Foro: reprodução.

Entre os dias 05 a 07 de setembro de 2008 o quebra-mar de Santos (SP) recebia a segunda edição do Earthwave Festival de Surf Ecovias, um evento idealizado por Rico de Souza e Picuruta Salazar que reunia competições de surfe, ações ambientais e a famosa tentativa de quebra de recorde do maior número de surfistas na mesma onda.

Entre as atrações, porém, uma chamava a atenção dos curiosos, afinal, seria a primeira vez que uma modalidade desconhecida, mas que rapidamente vinha ganhando adeptos, seria apresentada ao grande público: o stand up paddle!

A ideia de Rico de Souza de incluir o SUP no festival foi prontamente abraçada por Picuruta. Tanto ele, quanto Rico, já estavam viciados na novidade e o Earthwave seria a oportunidade perfeita para projetar o esporte a um novo estágio (algo que de fato aconteceu).

Em 2008 já havia notícia de praticantes em várias partes do litoral brasileiro, mas pouco se sabia em termos de equipamentos e nível dos praticantes. A novidade, que havia chegado ao Brasil cerca de quatro anos antes, pelas mãos de pioneiros como Jorge Pacelli, Haroldo Ambrósio, Vitor Marçal, Marc Conrad, Romeu Bruno, Rodrigo Koxa, Alessandro Matero e o próprio Rico de Souza, ainda era vista como um treino complementar para big riders, mas já dava sinais de que iria explodir.

E, por uma dessas coincidências mágicas, o brasileiro Vitor Marçal, radicado no Havaí, estava vindo ao Brasil na companhia de Brian Keaulana, water man havaiano filho de Buffalo Keaulana, uma lenda viva do esporte e remanescente original dos Beach Boys de Waikiki, um grupo de nativos a quem se atribui a criação do stand up paddle e o resgate do surfe e da cultura dos clubes de canoa havaiana. Pois é… Não era pouca coisa!

Brian Keaulana (à esq.) ao lado de Vitor Marçal durante visita ao Brasil que consagraria o evento histórico. Foto: AP.

Brian foi convidado a visitar o Earthwave e ficou sabendo sobre a competição de stand up paddle. O havaiano não só ficou amarradão com o fato, como também ajudou a viabilizar, juntamente com Vitor, o apoio da marca havaiana C4 Waterman, na época uma das únicas marcas no mundo que produzia pranchas e equipamentos para a prática do SUP.

A novidade foi muito bem aceita e as inscrições para as oito vagas esgotaram-se rapidamente. A curiosidade era muito grande e mesmo sendo a quebra de recorde o carro chefe do festival, muita gente estava curiosa para saber mais sobre aquele tal de stand up paddle.

No dia da competição, lá estavam eles, com aquelas pranchas enormes, que mais pareciam um “longboard anabolizado”, munidos de remos e prontos para desafiar as ondas que quebravam no quebra-mar santista.

Ídolo de gerações, Picuruta Salazar sagrou-se grande campeão do Earthwave Ecovias. Foto: Reprodução/ Ecovias.

Na grande final Picuruta Salazar, Carlos Bahia, Haroldo Ambrósio e Leco Salazar deram um show, abrindo definitivamente a porta para a entrada e o crescimento do stand um paddle brasileiro.

Ao final, o resultado foi o seguinte:

1 Picuruta Salazar (Santos)
2 Haroldo Ambrosio (Guarujá)
3 Carlos Bahia (São Sebastião)
4 Leco Salazar (Santos)

Campeão da primeira competição brasileira de SUP da história, Picuruta conta que até sonhou com o troféu:

Quando o Rico me mostrou o remo que o Brian trouxe, fiquei namorando o remo e até sonhei com a vitória”, revela o maior recordista de títulos no surfe brasileiro.

Seu filho, Leco, que anos mais tarde viria a se tornar o primeiro brasileiro a conquistar um título mundial de stand up paddle, também traz boas recordações desse momento histórico:

Lembro que o dia estava nublado e o mar com ondas em torno de um metro e meio. As pranchas ainda grandes, com o bico arredondado. Era o início… O Brian Keaulana trouxe o troféu em forma de remo diretamente do Havaí, que foi entregue ao meu pai pela conquista do campeonato. Foi a partir daí que a gente pode dizer que começou a história do stand up paddle no Brasil. Esse remo tem muito valor e fico muito feliz, pois ele está com a minha família, é uma recordação que a gente vai guardar para sempre”, recorda.

Idealizadores do festival, Picuruta e Rico de Souza tem seu nome garantido na história do stand up paddle brasileiro. Foto: Reprodução/ Ecovias.

De fato, a partir do Earthwave Festival de Surf Ecovias o stand up paddle passou a ser visto com outros olhos e ser considerado um esporte promissor. No ano seguinte, seria fundada a Associação Brasileira de SUP (que mais tarde se tornaria CBSUP) e realizado, em Ibiraquera (SC), o primeiro campeonato nacional da história, vencido por Leco Salazar. Em pouco tempo o SUP brasileiro viria se consolidar como um dos mais fortes e bem estruturados do mundo. Mas isso é assunto para outra reportagem…

VEJA IMAGENS DO PRIMEIRO CAMPEONATO DE SUP DO BRASIL
(a partir de 1m30s)

Leco Salazar em ação durante a final (repare no tamanho da prancha)

NOTA DO EDITOR: Após a publicação dessa matéria descobrimos que, na verdade, uma competição de stand up paddle já havia sido realizada e na mesma cidade, Santos, alguns meses antes. Foi o 1º Festival de Ramada da Baixada Santista, um evento de Race que reuniu as modalidades Va’a, Paddleboard e SUP Race (a primeira realizada no Brasil).  

Assim, o Ecovias Earth Wave foi, na verdade, a primeira competição de SUP Wave brasileira. 

Spread the love

About the author

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello

Luciano Meneghello é Editor-chefe do Aloha Spirit Club. Pioneiro na produção de conteúdo direcionado a esportes de água como SUP, va'a e paddleboard, foi fundador da Revista Fluir Standup e do site SupClub e tem artigos publicados em diversos veículos do segmento, como revista Go Outside, Alma Surf, site Waves, entre outros.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.