Novo capítulo da guerra entre ISA e ICF pelo controle global do stand up paddle

ICF anuncia campeonato mundial e ISA contra-ataca desafiando entidade a permitir que os tribunais decidam quem deve ser reconhecida como entidade oficial do stand up paddle
Mundial de SUP realizado pela ISA na Dinamarca, em 2017. Foto: ISA / Evans.

Em comunicado oficial publicado nesta segunda-feira (18) a ISA (International Surfing Association) desafiou a Federação Internacional de Canoagem (ICF) a permitir que os tribunais decidam quem deve ser reconhecida como entidade oficial para organizar e representar o stand up paddle a nível global.

A ISA quer que o Tribunal de Arbitragem do Esporte (CAS) julgue se o SUP deve fazer parte do mundo do surfe ou canoagem, uma vez que a ICF alega que o stand up paddle, mais especificamente, na modalidade Race, deve ser reconhecido como uma modalidade de canoagem e que, portanto, deve ser integrado à ICF e não à ISA, que é uma entidade de surfe.

Fernando Aguerre, presidente da ISA discorda e realça o histórico de sua entidade de envolvimento com o stand up paddle: “Temos uma história e uma tradição claramente definidas como organizadores do SUP”. Aguerre se refere ao ano de 2008, quando o stand up paddle foi incluído como uma disciplina derivada do surfe a fazer parte do espectro de modalidades regidas pela ISA. Em 2012, no Peru, a ISA organizaria seu primeiro campeonato mundial de SUP seguindo o modelo olímpico e que é realizado anualmente desde então (em 2018, o Mundial será realizado no mês de novembro no Brasil).

ACUSAÇÃO DE BOICOTE

“As objeções da ICF inviabilizaram a inclusão do SUP no Jogos Olímpicos da Juventude”, acusa Aguerre. Foto: Reprodução

O órgão mundial que rege o surfe a nível olímpico acusou a ICF de promover uma campanha de boicote à inclusão do stand up paddle nos próximos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018, na Argentina.

A inclusão do SUP nesta edição dos JOJ vinha sendo trabalhada por Aguerre, que é argentino,  nos bastidores e seria um importante passo dado pela ISA para a inclusão do stand up paddle nos Jogos Olímpicos Mundiais, como está acontecendo com o surfe.

“Tivemos um ótimo plano, um local incrível e estávamos em discussões avançadas com os organizadores de Buenos Aires e o Departamento de Esportes do COI, mas as objeções do ICF fizeram com que todo esse impulso se perdesse”, denunciou Aguerre. “Ao fazer isso, a ICF privou jovens atletas de todo o mundo da oportunidade de participar da maior etapa do esporte juvenil do mundo e, assim, prejudicou o desenvolvimento de SUP.”

ICF ANUCIA MUNDIAL DE SUP EM PORTUGAL E GERA POLÊMICA

Peixe fora d’água? A ICF quer aproveitar seu know how com a organização da canoagem mundial para reger eventos internacionais de SUP, mas a falta de uma relação mais profunda com o universo do stand up paddle vem criando obstáculos para a entidade. Foto: Reprodução/ ICF.

A guerra está longe de terminar. A ICF acabou do lançamento de seu primeiro Campeonato Mundial de Stand Up Paddling. O evento começa em 30 de agosto, em Viana do Castelo, Portugal.

“As federações nacionais de canoas de todo o mundo vêm trabalhando duro há vários anos para desenvolver o SUP como esporte, e agora estamos vendo os benefícios desse trabalho árduo”, diz Jose Perurena, presidente do ICF.

No mundo real, porém, poucos são os atletas e stakeholders ligados ao stand up paddle que veem na ICF uma entidade legítima para reger o esporte a nível global. Entre as acusações mais presentes estão a falta de interesse que a entidade demonstrou em relação ao stand up paddle durante anos e a dificuldade em compor alianças.

De fato, mal anunciou a realização do Mundial em Portugal e a ICF já foi notificada que a Federação Portuguesa de Surf (FPS) irá mover uma ação judicial contra a eles, uma vez que federação portuguesa alega ser a única entidade nacional com competência para organizar e homologar provas oficiais desta modalidade no país.

A ISA, oportunamente, confirmou total e incondicional apoio à FPS, reafirmando a ilegalidade deste campeonato internacional.

Apesar da relativa estagnação em que se encontra no Brasil, muito mais por conta da crise econômica do que por outros fatores, o SUP segue como uma das atividades esportivas que mais cresce no mundo e muitos acreditam que muito em breve será elevado ao status de esporte olímpico, razão pela qual tem gerado essa guerra entre as federações.

Spread the love

About the author

Da Redação

Da Redação

Aloha Spirit Club é a maior fonte de informação sobre water sports da América Latina. Nossa equipe traz até você conteúdos de qualidade e antenados com as novidades e tendências desse universo.


error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.