SUP Trip Califórnia x Hawaii

A primeira parada de Fabrício Caldas foi o norte da Califórnia. Região que oferece ótimas condições de surfe e picos irados para remada.

Em agosto de 2017 fiz as malas e parti de Florianópolis para os EUA em busca da realização de um sonho antigo. A missão era pegar onda de SUP de norte a sul da Califórnia e depois ir para o Hawaii. O roteiro começaria na Califa pegando um pedaço do verão,  todo o outono e o começo do inverno havaiano durante os seis meses que o meu visto de turista possibilitava minha permanência por lá.

A primeira parada foi em São Francisco e a remada inicial aconteceu entre a Ponte Golden Gate e a ilha-prisão desativada de Alcatraz. Água gelada e presença de tubarões fazem parte do cenário.

Na sequência, mais ao norte, pude descer um rio muito bonito, com fundo de pedras e água cristalina. No percurso avistamos ursos, veados, lobos e javalis que se aproximavam da margem para se refrescar, beber água e se alimentar.

Experiência incrível no calor de 40°! Lá também ficamos cercados por incêndios terríveis por uma semana e depois fomos sacudidos por um terremoto de 5.7 enquanto dormíamos em um motor home.

Remando pelos rios do norte da Califórnia foi possível avistar em diversos momentos animais selvagens como ursos, javalis e lobos, que se aproximavam da margem em busca de alimento e também para se refrescarem do forte calor.

Após os sustos seguimos em direção às praias de  Samoa e Shelter, com boas ondas de 2 a 10 pés, presença de tubarões brancos e pouca gente na água. Lugares lindos e muito selvagens; as árvores gigantes com mais de 3.000 anos ‘Red Woods’ são encontradas e preservadas em várias florestas nesta região, vinícolas e outras culturas encontram espaço nesta área rural dos EUA.

VOLTANDO ÀS CIDADES…

Chegamos a Santa Cruz no início do outono. Muito SUP wave nas ondas perfeitas do point break de Steamer Lane e nas bancadas de pedra de  Pleasure Point. Surf com muita gente na água (todo munda surfa, final de semana fica impossível!). Fomos ao Museu do Surf e andei de skate na Pista pública principal.

A lendária Malibu e suas ondas longas e rápidas, muito boas para o SUP Wave. Foto: Fabrício Caldas.

Dois swells mais tarde descemos mais um pouco ao sul e chegamos a Huntington Beach onde surfamos ótimas ondas por semanas, com o outono trazendo bastante ondulação, vento terral toda a manhã. Em um dia de swell consistente fomos a Malibu, ondas muito longas e rápidas, direitas potentes no fundo de pedra, muito bom para o SUP wave. Depois do surf bora comer uma  pizza em Hollywood.

Voltamos para Huntington e continuamos surfando perto do píer principal. Boas ondas em clima amistoso e de respeito. Acabei ficando conhecido pelos locais: “Não vi nenhum SUP wave”, diziam, então as pessoas vinham ver minha prancha, saber o  tamanho e me fazer elogios do tipo: “Você estava se divertindo muito!”.

Água gelada e altas ondas são a tônica da Califórnia.

Descendo um pouco mais chegamos a Trestles, caminhada com SUP, remo e mochila para pegar a onda de Lowers (mas ela é proibida para o SUP Wave). Lá, um surfista pediu para eu ir para bancada ao lado que foi demarcada para longboard e SUP Wave, mas insisti e fiquei surfando em Lowers por algumas semanas até chegar a hora de embarcar para a ilha de Oahu no Hawaii. Lowers é a onda mais perfeita que eu já surfei, vale qualquer esforço para surfar lá. De manhã é sempre terral.

HAWAII

Sorria, você está no Hawaii! Foto: Arquivo pessoal.

De cabeça feita embarquei no aeroporto de Los Angeles no dia 20/11, data do meu aniversário, para o North Shore. Chegando próximo ao aeroporto de Honolulu, quando avistamos as ilhas, o clima esquentou na aeronave. As crianças e os atletas principalmente começaram a falar em vós alta: “Olha as ilhas! É o Hawaii!”, deste momento em diante o espirito Aloha começa a pulsar e não acaba até você sair de lá.

É real e maravilhoso o clima de felicidade no North Shore. Fui recebido pela Kaimana e seu amigo brasileiro, que me levaram até a pousada do Cezinha, em Sunset na Kaunala Street. Receberam-me super bem, orientaram e deram todas as dicas para surfar as mais poderosas ondas do Planeta.

Quero agradecer também à hospitalidade da Katia, esposa do Cezar, e do Conan, filho deles, que  me fizeram  sentir em casa.

Visual típico das praias Havaianas. Foto: Fabrício Caldas.

Peguei o inicio da temporada havaiana com muito vento e swell de norte, e durante o dia sempre achava um horário bom e uma bancada com pouca gente para surfar pelos 11 km que delimitam o North Shore da ilha havaiana de Oahu.

Adrenalina, situações extremas, muita paz, natureza e ondas perfeitas. Esta é a química do lugar. Ondas de 6 a 25 pés todos os dias!

Neste período nenhum SUP wave na água, e as pessoas ficavam espantadas quando viam que eu ia cair de SUP. Voltei renovado a Floripa no final de dezembro e estou pegando boas ondas por aqui. Aloha a todos e mahalo a redação do Aloha Spirit Club!

GALERIA DE IMAGENS

SUP river – Shelter – Samoa (Norte da Califórnia)

Custom Gallery: images not found

ST Line – Venice – São Francisco – Shelter – SUP river no norte da Califórnia

Custom Gallery: images not found

Malibu – Huntington

Custom Gallery: images not found

Hawaii – Fotos Pedro Abreu

Custom Gallery: images not found

Fotos Bruno Abreu

Custom Gallery: images not found

CONTATOS

Face: https://www.facebook.com/fabricio.caldas

Insta: @fabriciocaldassurf

Site: www.fabriciocaldas.com.br

Apoios#alzairrusso #glogglz #iipdrog #costaodosantinho #Hurley #nessanutry #lavon #mangawax

Spread the love

error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.