Localizando: como posso melhorar minha orientação na água?

 

A localização no mar é uma técnica essencial para os maratonistas aquáticos, pois não existem raias, apenas algumas boias que auxiliam o atleta durante o percurso. Você deve estar preparado para lidar com surpresas e ser autossuficiente. A localização rápida das boias, a fim de realizar a passagem mais curta possível entre elas, é fator básico para uma natação eficiente no triathlon.

“Nas primeiras vezes é natural sair um pouco do caminho correto. Com o tempo e depois de disputar muitas provas isso se torna mais fácil.  Uma dica é respirar para frente e visualizar a boia com frequência para garantir que as braçadas estejam no caminho certo”, disse Betina Lorscheitter, atleta da Seleção Brasileira de Maratonas Aquáticas.

Alinhar o corpo não é tarefa fácil, o nadador levanta a cabeça até que esteja no nível da água, o corpo fica em direção ao alvo e se procede com as braçadas. Até aí tudo bem, mas com o procedimento de levantar a cabeça, o quadril afunda, deixando sua braçada curta, o que faz atrapalhar a respiração. Para manter o bom nado, saiba aplicar corretamente alguns pontos da orientação nessa modalidade.

Visualização

Para enxergar melhor o alvo, não levante muito a cabeça, apenas o necessário. Em dias de mar mais agitado erga um pouco mais o rosto, até a altura do queixo. Aproveite as ondulações e deixe, à sua vista, as referências do trajeto  para que você tenha maior alcance.

Respiração

Não respire ao visualizar as boias. Quando olhar para a frente, gire a cabeça para o mesmo lado do braço que está na recuperação, na fase aérea. Após isso, com o rosto voltado para o lado, faça a respiração colocando ele na água.

Apoio

Quando for fazer a orientação, tente manter o braço da frente estendido por alguns segundos a mais do que faria normalmente, criando um ponto de apoio dentro da água. Isso manterá seu tronco mais elevado, e consequentemente a sua cabeça também.

Costas

Curve as costas para trás na hora de visualizar, isso evita que o quadril afunde muito. Na reprodução desse movimento, principalmente nas provas maiores, a musculatura na região deve estar bem condicionada, sendo assim, é importante reforçar alguns treinos complementares.

Pernada

Procure melhorar a frequência das pernadas, mantendo a velocidade e evitando que as pernas fiquem mais submersas. Assim, você ganhará eficiência tanto na manutenção da inércia quanto na redução do arrasto.

Ter fôlego e força é a grande diversão para quem nada em águas abertas. Nadar em meio à natureza, é voltar às origens. Como nas primeiras olimpíadas, onde as provas eram realizadas em lagos ou mar.

Importante lembrar que para competir nos triathlons, a saúde e os exames médicos devem estar em dia. Passar mal na água é mais perigoso e o acesso para o resgate se torna mais difícil.

Maria Paula Paz

Spread the love

error: Entre em contato para ter essa noticia em seu site. Obrigado.